30 de mai de 2018

[Resenha] O poder dos seis por Pittacus Lore


Oi amores vamos falar de livros? Já vou avisando que esta resenha é diferente das outras, é mais um bate papo.
Na verdade já li algumas séries e estive pensando em criar alguns posts para comentar um pouco sobre os livros destas séries, resolvi começar por este por ser um dos meus favoritos.
Este livro pertence a série "Os legados de Lorien" que foi lançado pela Editora Intrínseca, todos os volumes da série foram lançados e eu claro obtive todos eles, se tem algo que gosto é de sentir o cheiro dos livros e ter eles em minha biblioteca. Enfim vamos lá.
A série que começou com Eu sou o número Quatro (que eu já resenhei aqui no blog), foi um grande sucesso para os amantes da ficção científica , como sempre para uma certa faixa etária também.
No livro anterior conhecemos a Número Seis que chega ajuda o número quatro a vencer os Mogs, neste livro somos levados a conhecer Marina ou a Número Sete, o livro já começa com ela narrando o que nos pega de surpresa, porque pensamos o que ouve com os outros?
Marina também faz parte da Garde e conhece Ella outra Loriena que também é uma Garde, a única desvantagem é que Marina não recebeu treinamento algum, pois sua Cepan se nega a treina-la, ela cresceu na Espanha em um colégio de freiras ou internato como queiram chamar.
E é neste que conhecemos Nove, um Garde segundo livro forte e cresceu com mordomia e bem treinado pelo seu Cepan, até o seu Cepan ser pego e morto pelos mogs.
Os caminhos se cruzam? Na verdade com uma certa ajuda John (Quatro) e Seis vão em direções certas e em busca dos outros.
É um livro intenso, com alguns dramas adolescentes, personagens cativantes.
John tem características tão reais e fortes que cativam a gente logo de cara, apesar da pouca idade vemos um personagem muito adulto que quer por fim a esta guerra sem derramar muito sangue, no decorrer da saga vamos acompanhando o desenvolvimento dele como pessoa e se tornando mais próximo do ser humano que um dia vai se tornar.
A Seis nos mostra uma personagem como muitos queriam ser, forte e destemida, que não se deixa levar pelas emoções com muita facilidade não, vai ser alguém em quem a Marina vai se apoiar, Marina por sua vez procura aperfeiçoar suas habilidades com coragem e se as duas são forte, Ella é a sabedoria em pessoa, mas é a mais jovem da turma. 
Em momento nenhum vemos cenas de sexo como vemos em livros que chega a ser apelativo e para mim é o que mais me cativou, a história do livro, o mundo particular que o autor criou.
O livro nos trás uma narrativa espetacular, muito bem colocado em suas opiniões com uma bela critica ao momento atual em que vemos corrupção por tudo quanto é parte do mundo. 
Nos mostra a saga de algumas pessoas, o que resta de um povo por sobrevivência e ao mesmo tempo para acabar com uma guerra que nem deveria ter começado e começou por ambição por erro de pensamento e estratégia.

Informações Técnicas

Autor: Pittacus Lore
Título original: The Power Of Six - O poder dos Seis.
Sequência de Eu sou o Número Quatro
406 páginas
Lançado no Brasil pela Editora Intrínseca
Personagens: John Smith, Número Seis, Sarah Hart, Sam Goode, Número Nove, Héctor Ricardo, Marina, Ella, Crayton, Adelina.
Porcentagem de aprovação: 96% Segundo o Google.
Lançado em 23 de agosto de 2011 pela primeira vez.
Preço a partir de R$23,90 em diversas livrarias.
 
A saga nos mostra  o erro dos antepassados o que acarretou a ruína de seu mundo  e exterminação de uma raça.
Então se você ainda não leu, fica a dica da semana e semana que vem comentarei o terceiro livro da saga aguardem.

Gostou do post?
Então curta, comente, compartilhe e siga nosso blog!

Beijos escritos e até a próxima.

Ana Ferreira Lima
Me encontrem aqui:
*Twitter @anaferlimaautor *Instagram @anaferlimaautor *Facebook @autoraanaferreiralima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ela Não Soube Perdoar

Aonde vai Vó?- Perguntou a neta preocupada com a fragilidade com que a avó levantou aquela manhã. – Vou encontrar-me com um velho amigo, ele está internado no hospital em Belo Horizonte, sofreu um infarto e os médicos acham que ele não vai durar muito tempo.
– Dona Sophia, quando quiser o carro já está pronto e lhe aguarda.
O motorista trabalhara para Sophia nos últimos vinte anos e nunca tinha visto a senhora tão abatida, seu ar era de alguém que não tinha dormido, e realmente depois de ter recebido a noticia de que Arthur estava internado, ela não dormia há duas noites e mal tinha se alimentado, a verdade era que o coração latejava, em busca de uma solução, queria voltar ao passado e consertar um erro.
– Estou pronta Marcos, vamos.
– Espera Vovó, eu também vou com a senhora, deixe-me pegar minha bolsa que vamos e nem adianta dizer que não, eu vou junto e pronto.
– Tudo bem querida.
A neta era uma garota exemplar crescera ali naquele sítio e sempre foi muito apegada a avó, e por muitos meses eram somente as duas e os três funcionários que trabalhavam no sítio, ela foi para o carro e enquanto esperava neta sua mente voltava ao passado.
Sophia fora uma garota exemplar, criada também pela avó, aprendeu desde cedo que tinha que lutar pelo que queria se quisesse ser alguém na vida.
Ela frequentou a escola e suas notas sempre foram as melhores da turma, era adorada pelos professores e sua avó nunca teve uma queixa, parecia que a história se repetia com sua neta, as duas eram muito parecida até na aparência, Sophia via e si mesma quando conversava com a neta.
Em seu interior sempre se perguntava como havia sido sua mãe, a mãe de Sophia morreu de bala perdida em um dia fatídico em que ela iria dar inicio em suas aulas da Faculdade de Letras, ela morreu antes mesmo de chegar ao hospital, após isso a avó se mudou com Sophia ainda pequena aos dois anos de idade para uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, morando em um Sítio nunca lhe faltou aventuras e diversão, nem amizades sinceras e leais.

Dica de Leitura

Dica de Leitura
Da mesma autora do blog!

Postagem em destaque

[Top 20] Seja um porto seguro na vida de alguém

E amar inclui respeitar o outro e aceita-lo como um ser humano real sem idealizações, porque meu bem perfeito ninguém é, ninguém muda p...