[Crônica] Lealdade nossa de cada dia

by - 18:00


Dia dois de novembro é o dia que muitos escolhem para cultuar seus entes queridos, eu já escrevi aqui uma vez que o cemitério é um lugar rico de sonhos frustrados, quantas pessoas morreram sem que seus sonhos fossem realizados?! Quantas pessoas que já se foram e lá se encontram que não conseguiram realizar seus sonhos? Várias sem dúvida, não permita que sua vida acabe e que não tenha nada que ser aplaudido.
Eu me lembro de quando era criança ir com minha mãe nesta data todo ano e como lá estavam várias outras pessoas que também estavam ali para prestar homenagem, não digo que seja certo ou errado, cabe a cada um cuidar de sua própria dor, eu jamais saberei quanta dor aquele "ferimento"   te causa sem antes calçar suas sandálias e passar pela mesma trajetória que você passa, mas me pergunto será que estamos dando a real importância para as pessoas em vida?
Será que eu dei realmente o melhor de mim?
É triste quando alguém recebe homenagem e já não está aqui para ver, porque na maioria das vezes esta pessoa se quer sabia que era amada realmente, ou o quanto era admirada.
  Então aproveito o mês de novembro, estamos caminhando para a reta final do ano de 2018, te chamo para uma reflexão.
Qual foi a última vez que você abraçou seus pais, seus filhos ou aquele amigão que você tanto ama, qual foi a última vez que você foi a igreja não para pedir mas apenas para agradecer?
E antes mesmo que você diga que é besteira, eu te digo que não é, não viemos com a capacidade de adivinhar pensamentos, e sim podemos mudar positivamente o mundo de alguém então porque não tentar? Porque não ser diferente, mais leais a nós mesmos e ao que sentimos?
Saia do automática nade contra a maré, seja daquele grupo que faz a diferença, mesmo que ninguém perceba. Eu tenho uma vizinha que perdeu o filho em um acidente de ônibus, era um jovem tão bom que todos gostavam, mas foi cedo demais e quando ele se foi ela não soube lidar com isso e ia todos os dias ao cemitério para ela era como se ela pudesse arrancar ele de lá e traze-lo para casa, porque a dor era por vezes insuportável e eu também me recordo de inúmeras vezes em que ela se quer deu atenção a ele porque estava ocupada demais com o trabalho, hoje eu sei que ela trocaria qualquer centavo por um minuto com o filho, o tempo passou e ela conseguiu superar, a dor se transformou em saudade.
Seja leal aos seus sentimentos e não perca tempo com sentimentos ruins, perdoe, ame mais se dê mais, nunca perdemos por amar demais, perde aquele que não sabe receber o amor que lhe é ofertado.
Não esqueça só temos uma vida e não há como fazer um rascunho, por tanto viva sem medo de ser feliz.

Curtiu o post?

Então curta, comente e compartilhe com seus amigos. Ah e siga o blog  para receber todas as postagens.


Beijos e abraços literários!


Márcia Lima

Siga-me nas redes sociais:

Facebook @marciaalimaescritora Twitter @marcialimaautor Instagram @marcialimaautor

You May Also Like

0 comentários

Ela Não Soube Perdoar

Aonde vai Vó?- Perguntou a neta preocupada com a fragilidade com que a avó levantou aquela manhã. – Vou encontrar-me com um velho amigo, ele está internado no hospital em Belo Horizonte, sofreu um infarto e os médicos acham que ele não vai durar muito tempo.
– Dona Sophia, quando quiser o carro já está pronto e lhe aguarda.
O motorista trabalhara para Sophia nos últimos vinte anos e nunca tinha visto a senhora tão abatida, seu ar era de alguém que não tinha dormido, e realmente depois de ter recebido a noticia de que Arthur estava internado, ela não dormia há duas noites e mal tinha se alimentado, a verdade era que o coração latejava, em busca de uma solução, queria voltar ao passado e consertar um erro.
– Estou pronta Marcos, vamos.
– Espera Vovó, eu também vou com a senhora, deixe-me pegar minha bolsa que vamos e nem adianta dizer que não, eu vou junto e pronto.
– Tudo bem querida.
A neta era uma garota exemplar crescera ali naquele sítio e sempre foi muito apegada a avó, e por muitos meses eram somente as duas e os três funcionários que trabalhavam no sítio, ela foi para o carro e enquanto esperava neta sua mente voltava ao passado.
Sophia fora uma garota exemplar, criada também pela avó, aprendeu desde cedo que tinha que lutar pelo que queria se quisesse ser alguém na vida.
Ela frequentou a escola e suas notas sempre foram as melhores da turma, era adorada pelos professores e sua avó nunca teve uma queixa, parecia que a história se repetia com sua neta, as duas eram muito parecida até na aparência, Sophia via e si mesma quando conversava com a neta.
Em seu interior sempre se perguntava como havia sido sua mãe, a mãe de Sophia morreu de bala perdida em um dia fatídico em que ela iria dar inicio em suas aulas da Faculdade de Letras, ela morreu antes mesmo de chegar ao hospital, após isso a avó se mudou com Sophia ainda pequena aos dois anos de idade para uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, morando em um Sítio nunca lhe faltou aventuras e diversão, nem amizades sinceras e leais.

Continue Lendo....

Dica de Leitura

Dica de Leitura
Da mesma autora do blog!

Postagem em destaque

[Top 20] Seja um porto seguro na vida de alguém

E amar inclui respeitar o outro e aceita-lo como um ser humano real sem idealizações, porque meu bem perfeito ninguém é, ninguém muda p...

Marcadores

CNPJ 20445389/0001-96 EMPRESA DO GRUPO ACP DIGITAL MARKETING . Tecnologia do Blogger.

Seguir Por Email