Sinceridades

 

Hoje acordei mais racional. Ouvi meu coração que me xingava por ter deixado uma suposta chance de ser feliz escapar.

Mas acontece que não deixei escapar, apenas expulsei da minha vida. Eu tenho para mim que o que é para ser vai ser. Não vou mais brigar com o destino é nem forçar entrada na vida de ninguém. 

Expulsei. Não volto atrás. Quem quiser gostar de mim, vai ter que aceitar do jeito que eu sou.

Decidi ser feliz. E se para ser feliz tiver que cortar amarras com alguém, então que seja assim. 

Não curto pessoas pegajosas que querem sempre mais de você. Sou fã de liberdade. Amo ser livre. 

Não aceito rótulos. Não costumo ouvir quando alguém chega e diz que vai passar ou "não acredito que vai sofrer por aquele traste". Mas a dor é minha. Eu que tenho que aprender a lidar com ela. E não lhe cabe o direito de me julgar. 

Já nadei em marés profundos e abismos sem fim. E quando emergir a superfície vi que tinha me doado demais. 

Hoje curto a minha própria companhia. Aprendi a amar e me aceitar. Assim como aceitar meus ritmos. A ser egoísta quando necessário, porque entendi que ser egoísta nem sempre é algo ruim. 

Muitas vezes a pessoa precisa confiar mais nela. Pensar mais nela. 

Só sei que estou bem.  E não eu não perdi nada. 

Porque o que é meu vai vir no tempo certo! 

🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟🌟

Olá amores! Gostaram da crónica de hoje? 

Estou sumida né? Mas para quem curte textos pode me seguir no Instagram .  Lá eu posto com uma maior frequência. 

Já leram Meu Inferno Favorito? 

Se não, corre lá no Amazon e adquira o seu, disponível também no KU. Lembrando que quem ama um livro físico ele também está disponível neste formato no CDA. 

Então não perca tempo. 

Curtiu o post? 

Então comente e compartilhe com seus amigos. 


Beijos escritos! 

Até a próxima! 


0 comentários.:

Postar um comentário



Topo